GOL ROUBADO, FALTA DE EDUCAÇÃO, "DIA SEM GLOBO" E OUTRAS COISAS

Dunga é mal educado e deselegante. Muitos não gostam da Rede Globo. A Seleção Brasileira ganhou da Costa do Marfim. Dunga, que até então desafiava a Globo, recebeu uma espécie de perdão provisório. E a Globo, diante do resultado do jogo, passou a ser hostilizada depois da agressão de Dunga a um repórter da emissora.

Bem vindos ao mundo da lógica brasileira. Ou melhor, vocês fazem parte dessa variante não exatamente aristotélica do universo da razão e conhecem muito bem seu funcionamento. O preâmbulo serve apenas para ressaltar o que houve e todos já sabem; meros prolegômenos para fazer gracinha. Sigamos.

Seria realmente falso dizer que sabia de todos os movimentos da turba, mas quando o árbitro validou o gol irregular de Luiz Fabiano, depois não dando muita bola para a pancadaria dos jogadores da Costa do Marfim, logo imaginei a bronca seletiva. E foi o que houve: torcedores brasileiros repreenderam o "juiz ladrão". Todos gritavam - garantindo ter total razão - acerca da falta de boa-fé do sujeito. Sobre o gol irregular, nada foi dito. Ou quase nada. Quem levantava tal lebre era prontamente repreendido, era "antipatriota" (?) e assim por diante.

Daí veio o incidente entre Dunga e Rede Globo.

A emissora combinou uma entrevista com jogadores e, como é natural, o acerto foi firmado entre os superiores. Dunga manda nos jogadores. Ricardo Teixeira manda em Dunga. A CBF é uma empresa privada, ao contrário do que pensam alguns brasileiros ainda acostumados a institucionalizar, estatizar ou tornar coletivo/afetivo isso ou aquilo. Repita-se: A CBF É UMA EMPRESA PRIVADA E FOI FEITO UM ACORDO ENTRE DUAS COMPANHIAS.

Dunga, antes de tudo insubordinado, não acatou a ordem e resolveu dar chilique. Mais ainda: não foi corajoso o bastante para agredir os superiores, verdadeiros responsáveis pelo acordo, mas atacou um pobre-coitado tão pau-mandado quanto ele (ambos, afinal, são empregados das empresas que firmaram o acordo para as entrevistas). E assim começa uma briga entre empregados de empresas - para o povo, é uma guerra entre interesses patrióticos.

O técnico da Seleção Brasileira, de fato, não parece rivalizar com Einstein quanto aos índices de QI e, além disso, visivelmente faz da Copa do Mundo uma cruzada pessoal, talvez tentando mostrar seu mérito como treinador. Suas vitórias não são comemoradas com festas, mas esbravejadas com fúria. Cabe uma análise mais profunda sobre esse comportamento - isso é com os profissionais especializados.

Como tudo que é ruim pode ficar ainda pior, surge um movimento desses que só podem nascer na Internet: "DIASEMGLOBO". A idéia seria ver o próximo jogo do Brasil em outra emissora, provavelmente a BAND, cuja verba de transmissão é REPASSADA PARA A GLOBO. Uma iniciativa realmente genial. Identifiquei alguns expoentes da coisa e, claro, vários são ligados a legendas políticas e coisas do tipo. São aqueles que não perdem uma oportunidade de perder uma oportunidade.

Fica a impressão de que muitos brasileiros gostam de chefes autoritários, desde que haja algum "resultado" (e, vale dizer, ainda NÃO houve resultado algum...). Quando o mini-déspota elege um inimigo, valendo-se de sua posição privilegiada de "defensor da pátria" (ainda que a "de chuteiras"), a massa bovina o acompanha e dá início ao linchamento simbólico. E, na seqüência, os oportunistas políticos de sempre aproveitam para criar algum movimento maluco para tirar uma casquinha.

Chega a dar vergonha.

No fim, teremos aquilo de sempre: caso perca, Dunga é que será linchado simbolicamente, ninguém deixará de ver a TV Globo e os urubus da politicagem, como sói, mais uma vez passarão vexame por usar essas ocasiões para fazer movimentos estapafúrdios. Mas, claro, a Seleção Brasileira também pode ganhar e, nesse caso, adivinhem qual emissora fará TODAS as entrevistas exclusivas com os jogadores?

Mas o Dunga pode manter sua birra e não abrir a boca, falando apenas com outros canais de televisão. Enquanto praticamente todos os brasileiros vêem os jogadores falando com Galvão Bueno e Tadeu Schmidt, os rebeldes de sofá mais empedernidos mantêm o "movimento" e ficam naqueles debates das outras emissoras - talvez tendo a sorte de acompanhar algum chilique do provavelmente ex-técnico. Isso, claro, se ganhar.

Porque, se perder, todos voltarão às telenovelas. Da Globo, claro.



fonte: http://www.interney.net/blogs/gravataimerengue/2010/06/23/gol_roubado_falta_de_educacao_dia_sem_gl/